quarta-feira, 16 de março de 2011

Econômia

O que é análise econômica

O caráter instável do Brasil exige, do profissional de economia, um enorme esforço de interpretação dos acontecimentos e, sobretudo, de estabelecimento de referências futuras para as decisões presentes, o que pode ser precipitadamente confundido com aquelas tarefas simples de listagem de palpites, sujeitas aos acertos e erros, e passíveis de execução por qualquer agente social.
Considerando que a única certeza é que o futuro é incerto, a missão do economista seria perseguir uma espécie de estruturação da incerteza, ancorada cientificamente nos princípios norteadores da análise econômica. Esta consiste, essencialmente, num processo sistemático de interpretação de fatos de natureza econômica, com base no estoque de conhecimentos acumulado e disponibilizado pela teoria econômica.
Suas finalidades estão diretamente atreladas às necessidades, dos profissionais de mercado, de aprimoramento da capacidade de entendimento e avaliação dos fenômenos econômicos e da obtenção de subsídios relevantes tanto para a realização de estudos e pesquisas quanto para o processo de decisão micro e macroeconômicos. A análise abrange todo o universo de relações econômicas, incluindo desde informações empresariais (custo, produtividade, orçamentos, processos, etc.) até os agregados macroeconômicos (renda, consumo, gasto público, exportações, importações, balanço de pagamentos, endividamento, dentre outros).
Ademais, possui dois grandes objetivos integrados: facilitar e/ou organizar a compreensão dos movimentos conjunturais e estruturais da economia; e reunir informações e conhecimentos para a tomada de decisões estratégicas, nas áreas pública e privada, voltadas à avaliação do desempenho de políticas e à intervenção na trajetória das principais variáveis.
A caixa de ferramentas básicas para a realização da análise econômica contém os dados, as informações e os indicadores que, em inúmeros casos, se superpõe, dificultando sua rotulagem conceitual. Ainda assim, é possível entendê-los como sendo matéria-prima para prover as informações (dados); dados processados (informações); e informações sinalizadoras e/ou explicativas do comportamento de determinado fenômeno econômico (indicadores).
O êxito da análise econômica requer a conciliação entre amplo aprendizado e domínio da teoria econômica e acesso sistemático e contínuo às bases de dados e informações. Na semana que vem, pretendo abordar o significado da análise de conjuntura, o principal eixo da análise econômica.


Gilmar Mendes Lourenço é Economista e Coordenador do Curso de Ciências Econômicas da UNIFAE – Centro Universitário – FAE Business School. Ele escreve às Quartas-Feiras neste espaço.

Fonte retirado do link: http://www.bemparana.com.br/index.php?n=60333&t=o-que-e-analise-economica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário